Profissional com mais de 20 anos de experiência. Qualidade e preço justo! 64 98443 5010 – Mirim

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) destacou nesta segunda-feira (11), que medidas serão endurecidas. Haverá uma restrição das atividades consideradas essenciais. Caiado reclamou dos índices de isolamento no estado, que estão abaixo de 40%. As medidas não devem ser uniformes para todo o estado.

Em live para veículos da Agência Brasil Central, o governador destacou que as pessoas precisam fazer sua parte, respeitando o isolamento social. Caiado reclamou que não há motivo para tamanha movimentação em Goiânia e em outras grandes cidades do estado.

Por outro lado o governador disse que nunca falou em lockdown, ou seja, no fechamento total das atividades.

“Nós estamos insistindo no isolamento social, que as pessoas devem fazer sua parte. Não tem sentido essa movimentação. Não está tem isolamento em Goiânia, nas grandes cidades. Nós passamos da melhor posição com 63,4%, chegando a 70% chegando a 37%, ou seja, não tem isolamento social, sendo o pior estado do país”, afirmou.

Ronaldo Caiado disse que a situação exige do Estado medidas mais rígidas, principalmente nas cidades em que houve aumento significativo dos casos. Algumas atividades que tiveram permissão para funcionar, devem voltar a ser fechadas.

Caiado reclamou dos supermercados, que várias medidas sanitárias não estão sendo cumpridas, como entrar nos estabelecimentos sem máscaras.

“Vamos exigir um fechamento significativo do comércio. O essencial vai ser restrito a hospitais, drogarias, alimentação e fiscalização diferenciada nos supermercados, se não cumprirem as medidas o decreto também os atingirá. Ainda a indústria de alimentos. Fora isso, nas cidades que estão no sinal vermelho, que progrediram muito, as medidas serão muito mais rígidas para que haja um respeito da população as regras”, destacou.

Caiado comparou a situação de Goiás com outros estados. As medidas devem ser mais duras em cidades da região do Entorno do Distrito Federal, da Região Metropolitana de Goiânia, grandes municípios que são polos de atração e cidades turísticas. O governador tem recebido reclamações de pessoas que estão indo para as regiões turísticas e que não há um controle. Em entrevista a Globo News, Caiado disse como pretende fazer o endurecimento das regras nas diferentes regiões.

“No entorno de Brasília temos um alto nível de contaminação, é uma região crítica. Goiânia atingiu mais de 50% dos casos. Nas cidades polo com maior índice de contaminação. Quanto se faz uma quarentena nessas cidades, o resultado vai repercutir em outras cidades. Vamos saber dosar o isolamento nas áreas mais contaminadas e com maior capacidade de contaminação”, disse o governador em entrevista a Globo News.