No primeiro semestre de 2018, 149 escaparam de presídios do Estado. Neste mesmo período, em 2021, foram registradas 10 fugas, sendo que cinco presos foram capturados pelas forças de segurança. Estudo da Gerência de Inteligência e Observatório da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás revela que índice cai a cada ano

A Drogalar informa que estará de plantão até o dia 23 de julho.

Estudo da Gerência de Inteligência e Observatório da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) de Goiás indica que o número de fugas nas unidades prisionais do Estado diminuiu de 149, no primeiro semestre de 2018, para 10, de janeiro a julho deste ano, o que equivale a uma redução de 93%. Os dados revelam que o índice diminui ano a ano. Nos primeiros semestres de 2019 e 2020, foram registradas 57 e 52 fugas, respectivamente.

A DGAP ressalta que das 10 fugas registradas em 2021, cinco presos já foram recapturados pelas forças de segurança, ou seja, 50% voltaram para o sistema penitenciário para cumprir penas. No acumulado anual, o número de foragidos das unidades prisionais diminuiu de 354, em 2018, para 211 em 2019 e para 69 em 2020. A redução foi de 80% de 2018 para 2020. Este levantamento apresenta dados desde o início da implantação do observatório do sistema prisional, que aconteceu no decorrer de 2017.

Investimentos
O diretor-geral de Administração Penitenciária, tenente-coronel Franz Rasmussen, defende que a redução no número de fugas está diretamente ligada aos investimentos que o Governo de Goiás vem fazendo no sistema prisional, principalmente na valorização dos servidores. “Nosso efetivo vivenciou uma verdadeira revolução na sua carreira nos últimos dois anos. Com a aprovação da PEC que institui a Polícia Penal, eles conquistaram sua equiparação às outras forças de segurança do Estado. Isto já trouxe muitos efeitos positivos, e tenho certeza que ainda teremos muito mais”, diz.

Outro fator determinante para a segurança dentro dos estabelecimentos prisionais foram os investimentos em equipamentos e monitoramento. Nos anos de 2019 e 2020, foram investidos mais de R$ 17 milhões na segurança penitenciária. “Adquirimos viaturas de escolta prisional e administrativas, portais para detecção de metal, scanners corporais, armamentos, munições, coletes balísticos, algemas de tornozelo e de transporte, pistolas PT-100, entre outros materiais. Tudo para aumentar a segurança dentro dos presídios e proporcionar melhores condições de trabalho para nossos servidores”, destaca o diretor-geral.

Além da valorização dos servidores, a DGAP tem investido na profissionalização e no treinamento de seu efetivo. Desde 2019, a Instituição adotou o Procedimento Operacional Padrão (POP) no sistema penitenciário. “O POP padronizou o modo de atuação dos servidores no que diz respeito à rotina dentro das unidades prisionais. Isso resultou em diminuição das ocorrências negativas, proporcionando mais segurança a todos”, explica o diretor-geral, tenente-coronel Rasmussen.

A Polícia Penal de Goiás também tem trabalhado de forma integrada com as forças policiais de Segurança Pública para combater a criminalidade no Estado. As operações conjuntas resultam em mais ações de Inteligência e Segurança Penitenciária.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) – Governo de Goiás