Caiado informou que encaminhou ao ministro da Casa Civil, general Braga Neto, um cardápio de obras reivindicadas por Goiás, para que entrem no programa Pró-Brasil

O governador Ronaldo Caiado fez um apelo emocionado na live de hoje, 23, aos veículos da Agência Brasil Central (ABC), para que as pessoas não divulguem fake news, porque acabam atrapalhando o adequado trabalho de combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) em Goiás. Ele se referia ao veto que fez do projeto da Assembleia Legislativa que suspendia os cortes de serviços essenciais e explicou que o mesmo tinha vício jurídico e que ia depois ser derrubado na justiça. Falou que foi ele que determinou à Saneago para não cortar o fornecimento, em caso de não pagamento, e fez incursões junto à Enel e às operadoras de telefonia para que também não punissem os usuários neste momento de crise.

“A matéria chegou a mim dizendo que nós goianos iríamos legislar sobre energia elétrica, que não é nosso, e de telecomunicações, que também não é nosso”, disse, observando que tudo foi feito baseado em acordo entre Governo e Assembleia. “A concordância do veto veio da concordância da Procuradoria da Assembleia com a Procuradoria Geral do Estado de Goiás (PGE). É importante que as pessoas entendam isso” sentenciou, acrescentando que amanhã, quando se verificar que a lei é inconstitucional, a justiça derruba a lei e o cidadão que acreditou na lei vai ter a conta dele reajustada, multa, correção monetária, ainda o corte de energia e ainda pagará a taxa de religação.

Falou também que sempre esteve aberto às críticas, se elas forem feitas com consistência. “Se cometi falha, vou mudar. Não defendo o que está errado. O que defendo é que haja uma informação correta, apurada. Por isso que se chama fake news” afirmou, mostrando indignação com as pessoas que, ao invés de ajudar, atrapalham e que isso prejudica demais o trabalho de combate à pandemia. Mas ressaltou que há muita gente, a grande maioria, envolvida nesse trabalho voluntário, de querer ajudar o próximo neste momento de crise “e isso é muito gratificante”, enfatizou.

Apelo aos prefeitos

Caiado fez mais um apelo aos prefeitos, além do que tem solicitado, para terem cuidado na abertura da quarentena. Pediu que eles colham o material de todas as pessoas com suspeita de estarem infectadas pelo novo coronavírus em suas cidades e mandem ao laboratório, o Lacen. Dessa forma, argumentou, as estatísticas estarão o mais próximo possível da realidade da doença no Estado e é mais fácil realizar o controle, evitando a proliferação do vírus pelo contágio.

Fez uma atualização do balanço da doença em Goiás, mostrando que já foram verificados 453 casos confirmados, sendo 219 mulheres e 234 homens, e que Goiânia continua líder no número de casos, com 257 infectados. Em seguida vem Anápolis, com 35 casos, Goianésia, 24, Rio Verde 13, Itumbiara, 10, e Luziânia, 9, entre outros, totalizando 47 municípios com casos comprovados. Há ainda 29 municípios com casos para serem confirmados. Ao todo, até agora, houve 23 óbitos.

Ronaldo Caiado disse que participou hoje à tarde de uma entrevista para articulação federativa, visando a retomada da economia no período pós pandemia, visto que o Governo Federal já elabora plano de financiamento de obras. “Solicitei entrevista com o ministro Braga Neto (Casa Civil) para levar as reivindicações de Goiás”, dentro do programa Pró-Brasil anunciado pelo Governo Federal de retomada do investimento público, informou, assinalando que entregou um cardápio de obras com as liberações concedidas, inclusive as ambientais, para a construção de PCHs, indústrias e outras obras, facilitando acesso a áreas em distritos industriais e que a Codego está também trabalhando para isso. Observou ainda que não se descuidou das reivindicações da área social.

 

ABC Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui