O governo de Goiás e a Enel Distribuição Goiás, antiga Celg D, formalizarão um acordo com medidas que prometem dar fim a crise energética no estado. De imediato, segundo o governador Ronaldo Caiado (DEM), a empresa italiana deve repor 486 megawatts no fornecimento de energia elétrica nos municípios goianos. As constantes falhas no serviço têm gerado prejuízos aos moradores, produtores rurais, empresas e empreendedores.
O documento será assinado na próxima segunda-feira (26/8). Estarão presentes na solenidade, além do governador, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o presidente da Celg Geração e Transmissão (Celg GT), Lener Silva Jayme e representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A bancada federal goiana, deputados estaduais e secretários de Estado também confirmaram presença.
A medida foi comunicada por Caiado nesta quarta-feira (21/8), durante anúncio da retomada de atividades da BRF em Mineiros. “Estaremos, assim, dando as condições adequadas para que tanto a BRF Alimentos quanto outras empresas consigam operar com capacidade máxima em Goiás”, prometeu o gestor estadual.

Falhas no fornecimento de energia em Goiás

A Enel Distribuição arrematou a Celg D num leilão de privatização realizado em 2016. Em entrevista coletiva, Caiado pontuou que desde que assumiu o governo, as falhas no fornecimento de energia elétrica em Goiás têm gerado uma queixa generalizada “não só dos empresários, mas também de pequenos produtores, comerciantes e do cidadão em geral”.
Nos últimos meses, a empresa tem sido alvo de inúmeras reclamações e protestos. Em fevereiro deste ano, uma das manifestações que chamou a atenção foi a de um grupo de 500 produtores de leite de diversos municípios de Goiás, em frente à sede da Enel, no Jardim Goiás, em Goiânia.
O objetivo era chamar a atenção da empresa diante da má qualidade do serviço de fornecimento de energia que vem sendo prestado. Durante o protesto, foram acendidas velas em frente à empresa e doados dois mil litros de leite à Vila São Cottolengo, Casa de Eurípedes e Paróquia São Francisco.
No mesmo mês, produtores de leite de Iporá distribuíram aos moradores 10 mil litros do alimento durante um protesto por melhorias na prestação do serviço de energia elétrica.

Fonte: Dia Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui