Investigação aponta que o indivíduo teria sido contrato por mulher para matar o ex-marido. Homicídio não foi consumado.

A Polícia Civil de Goiás prendeu em flagrante um homem suspeito de atuar como pistoleiro e ainda investigado pelo crime de extorsão. A detenção foi realizada na última segunda-feira (17), no Setor Alto da Glória, em Goiânia. Segundo a Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), o indivíduo teria sido contratado por uma mulher para matar o ex-marido, de quem havia se separado recentemente. O homem receberia o valor total de R$ 20 mil para praticar o crime.

De acordo com o delegado Rhaniel Almeida, depois que o indivíduo aceitou o contrato e que já havia recebido a quantia de R$ 6 mil, passou a extorquir o alvo, para não concretizar a execução. “Esse homem fez contatos telefônicos e disse que, se a vítima não cobrisse o valor da proposta que ele recebeu para matar ele, iria cumprir o combinado, ou seja, matá-lo. Começamos a investigação, com uma série de diligências de inteligência e conseguimos identificar esse suspeito”, informou.

O suposto pistoleiro foi preso pela Polícia Civil no momento em que chegava ao trabalho do ex-marido da contratante, para receber o valor exigido. “Como ele não chegou a tentar matar a vítima, não responde por tentativa de homicídio, mas pela extorsão. De mesmo modo, como não tentou matar a esposa que contratou ele, também não responde por tentativa de homicídio”, disse.

O homem já possuía diversas passagens por tráfico de drogas, receptação e outros crimes. Apesar disso, a atuação dele como assassino de aluguel ainda será apurada. “Ele não tem passagens específicas por homicídio e por pistolagem. Mas, os elementos apontam que ele seria um pistoleiro contratado pela esposa e que, no caso, preferiu extorquir a vítima. Mas não é possível afirmar se ele já queria dar esse golpe ou se ele realmente é um pistoleiro e desistiu do contrato”, ressaltou o delegado.

Além do indivíduo detido, a mulher que contratou o serviço e outras duas suspeitas, que atuaram como intermediadoras, também estão sendo investigadas. “A gente tem elementos de prova bem robustos e que apontam tanto a participação dele quanto a da esposa da vítima, que o contratou. Tudo isso foi confirmado durante o interrogatório dele, em que confessou todos os fatos”, completou Rhaniel Almeida. As investigações seguem para identificar a participação de todos os envolvidos no caso.

A imagem do suspeito está sendo divulgada em razão da primazia do interesse público sobre o privado, no caso em questão, haja vista possibilidade do investigado ter feito outras vítimas, além de contribuir para o aparecimento de outras testemunhas do fato em apreço.

Secretaria de Estado da Segurança Pública – Governo de Goiás