Nesta terça-feira (25), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autorizou que os testes do soro anti-Covid, que é desenvolvido pelo Instituto Butantan, sejam iniciados. O aval para o começo das testagens era aguardado desde o mês de março, quando o Instituto efetuou o pedido à Anvisa. Esta será a primeira vez que o soro, que é feito de plasma de cavalos, vai ser aplicado em voluntários humanos.

A meta soro anti-Covid é auxiliar na redução da letalidade e da gravidade da doença, aliviando o sistema de saúde com a dimunição dos sintomas da infecção. Nos animais testados, como camundongos e coelhos, o soro já demonstrou eficácia na queda da carga viral e perfil inflamatório reduzido. O material não é capaz de curar ou de prevenir a doença.

Os testes realizados em humanos são um capítulo importantíssimo nessa etapa, para que o Instituto possa avançar no desenvolvimento do medicamento e, assim, solicitar seu registro junto à Anvisa, para que ele seja utilizado no mercado.

Por meio de nota, o Instituto Butantan informou que os testes deverão começar já na próxima semana, e que, inicialmente, em pacientes com transplantes de rim, no Hospital do Rim, e em pacientes com comorbidades no Hospital das Clínicas. O intuito é aplicar o soro em pacientes contaminados  e, depois, descobrir qual a dose necessária para obter os efeitos desejados.