resultado do teste de contraprova de uma adolescente que vive em São Paulo deu positivo para o novo coronavírus, informou nesta quinta-feira (5) o Ministério da Saúde. Com isso, o Brasil já soma quatro casos confirmados da doença covid-19. Inicialmente, o ministério havia informado que o registro não entraria na lista de confirmados por não se enquadra na definição de caso de covid-19. O motivo era o fato da adolescente não ter apresentado sintomas.

Após reunião com especialistas nesta quinta-feira (5), a pasta recuou da decisão e decidiu classificar o registro como confirmado. A avaliação ocorreu devido a quatro pontos: 1) o fato de ter dado exame positivo para o vírus, 2) o histórico de viagem da adolescente a uma área de alta transmissão, 3) o uso de medicamentos que podem ter escondido sintomas, como febre e 4) a possibilidade de que a adolescente ainda tenha sintomas.

Em nota, o ministério diz que estuda uma infecção assintomática pelo coronavírus. A pasta qualifica a situação como atípica. A previsão é que sejam feitas agora outras análises para observar carga viral e potencial de transmissão e se houve supressão de sintomas por uso de medicamentos.

O caso era analisado desde quarta-feira (4), quando resultado de um primeiro exame feito pela adolescente na rede privada deu positivo para o novo coronavírus.

Trata-se de uma estudante de 13 anos que esteve na Itália. Lá, ela esteve em Milão e depois na região de Dolomitas, onde ficou internada em um hospital por causa de uma lesão no joelho.

A adolescente, porém, não teve sintomas desde que chegou ao país. Segundo equipes do Ministério da Saúde, a probabilidade é que ela tenha feito o teste por ter estado internada em um área onde há transmissão do novo vírus e para possíveis novos procedimentos médicos.

A pasta diz que irá avaliar se um eventual medicamento usado para tratamento da lesão no joelho pode ter levado a estudante a não ter sintomas. O histórico dos familiares que a acompanharam na viagem também deve ser analisado. Adolescente e contatos são monitorados, diz o ministério.

“Do ponto de vista da saúde pública, não vamos fazer exame de todo mundo para, numa loteria esportiva, saber se alguém teve o vírus”, disse ele, para quem a medida seria ineficaz na contenção do vírus.

Ainda na quarta, o Ministério da Saúde confirmou o terceiro caso de covid-19 no Brasil.

O paciente é um homem de 46 anos nascido na Colômbia, mas que vive em São Paulo e fez viagens recentes à Espanha, Itália, Áustria e Alemanha.
Ele foi atendido no hospital Albert Einstein e teve o caso confirmado em exames. Em seguida, foi encaminhado para isolamento domiciliar.

FONTE: Mais Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui