Ministério da Saúde (MS) descartou, na tarde desta terça-feira (11), a presença de coronavírus nos 58 repatriados da China que estão em quarentena na Base Aérea de Anápolis. O vírus causa a recém-nomeada COVID-19. A divulgação foi dada durante uma coletiva de imprensada pasta.

Ainda de acordo com o MS, eles foram submetidos a exames que são específicos para detectar se a pessoa está infectada com o vírus. O exame, segundo o ministério, foi testado em todo mundo e foi até reconhecido pelos órgãos internacionais.

Por meio das redes sociais, o governador Ronaldo Caiado (DEM) agradeceu a Deus pelo resultado e disse que foi informado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Deus estende a mão a quem precisa e a quem é solidário. Acabo de ser informado pelo @lhmandetta de que o exame de todos os 58 brasileiros em quarentena na base aérea de Anápolis tiveram resultados negativos!”, escreveu.

 

Rotina

O cinegrafista da Empresa Brasil Central (EBC) disse em entrevista à Agência Brasil que as pessoas estão tranquilas e colaboram com os procedimentos da quarentena na Base Aérea da cidade. Ele contou que, devido às longas horas de viagens, ficaram descansando nos quartos.

“A única coisa realmente militar são os horários pontuais da alimentação. Temos total liberdade de circular na área delimitada por eles. Pode sair, dar uma corrida, a internet está liberada. As pessoas já estão interagindo, fazendo amizades, as crianças estão brincando”, disse Warley à reportagem.

As duas aeronaves saíram de Brasília (DF) no último dia 5 de fevereiro e pousaram em Anápolis no último domingo (9). Das 58 pessoas que estavam a bordo, 34 estavam em Wuhan – epicentro da contaminação- e 24 pessoas que participaram da operação de resgate.

Casos

De acordo com o MS, há 40 mil casos que foram notificados em todo mundo. 99,2% dos casos foram registrados na China. Apenas 319 foram notificados em outros países. No Brasil, oito casos suspeitos estão sendo investigados no Brasil. São três em São Paulo, dois no Rio de Janeiro e um em cada um dos estados: Minas, Paraná e Rio Grande do Sul. Além disso, o tempo total de diagnóstico é de três dias.

Entre os 41 casos investigados, a maioria são homens, com média de idade de 28 anos. Boa parte das pessoas estiveram em diversos cidades da China e apenas três estavam em Wuhan – epicentro da contaminação do coronavírus. Em Goiás, nenhum caso é investigado  ou tratado como suspeito.

FONTE: Mais Goiás