A nova rodada do auxílio emergencial começará a ser paga a partir deste mês de abril. O benefício terá quatro parcelas mensais com um valor médio de R$ 250, podendo variar de R$ 150 a R$ 375. A quantidade de beneficiados foi reduzida pelo governo federal, regredindo de quase 68 milhões para 45,6 milhões de pessoas nessa nova rodada. Por isso, uma consulta estará disponível no site da Dataprev, a partir desta quinta-feira (1º), para que os possíveis candidatos possam conferir se terão direito à quantia.

Foi estipulado que as famílias com renda total de até 3 salários mínimos por mês, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo, sendo necessário, ainda, que essa família tenha sido aprovada no auxílio no ano passado, receberão o benefício. Já no caso dos que recebem Bolsa Família, permanecerá a regra do valor mais vantajoso.

O montante estipulado para o benefício irá variar conforme o perfil do inscrito. A divisão será a seguinte: as famílias irão receber R$ 250; as famílias monoparentais dirigidas por uma mulher receberão R$ 375; e as pessoas que moram sozinhas receberão R$ 150.

O pagamento será iniciado no dia 6 de abril para aqueles que fazem parte do Cadastro Único e para os que se inscreveram no site ou no aplicativo do auxílio emergencial. Já para os que fazem parte do Bolsa Família, o primeiro pagamento será no dia 16 de abril, seguindo o calendário já estabelecido pelo programa.

Para receber os pagamentos é preciso estar com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) regularizado, o que pode ser feito no site da Receita Federal, bastando inserir o número do CPF e a data de nascimento, clicar em ‘não sou um robô’, e consultar o documento.

Não irão receber o auxílio os menores de 18 anos (com exceção às mães adolescentes), as pessoas que possuem emprego com carteira assinada ou recebem benefício do governo (exceto Bolsa Família e abono salarial), aqueles que não movimentaram os valores do benefício emergencial do ano passado, os que tiveram o auxílio de 2020 cancelado até dezembro, os estagiários e residentes médicos, multiprofissionais e pessoas que recebem bolsas de estudos ou similares, bem como aqueles que moram no exterior.

Também não receberão o benefício aqueles que tiveram renda tributável acima de R$ 28.559,70 em 2019, os que receberam em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil, as pessoas que possuíam propriedade de bens e direitos superior a R$ 300 mil em 31 de dezembro de 2019, os dependentes no Imposto de Renda 2019 das pessoas que se enquadram nas opções acima referente a rendimentos, os presos em regime fechado ou os que a família recebe auxílio-reclusão e aqueles com renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo.

Confira abaixo os calendários da nova rodada do auxílio emergencial:

 

 

 

(Com informações do G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui