CASA DA MUÇARELA, AV. BRASIL, CENTRO DE QUIRINÓPOLIS. O MENOR PREÇO EM MUÇARELAS E FRIOS.

O preço da carne em Goiás deve ter uma nova alta em breve. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Carnes Frescas no Estado de Goiás (Sindiaçougue), o período de estiagem e a possibilidade de aumento da energia elétrica – diante da manutenção da atual bandeira tarifária – devem ser os propulsores da alta de cerca de R$ 1 por quilo, que já deve ser sentida a partir de outubro.

Vale lembrar, a carne bovina já é um dos itens que mais pressionam a inflação no País, com aumento equivalente a três vezes e meia à inflação geral, que acumula alta de 9,30% em 12 meses até agosto, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15). E de acordo com o presidente do Sindiaçougue, Silvio Yassunaga, o preço do quilo desse produto – que já passa de R$ 40 – ainda estaria sendo amenizado pela baixa nas vendas e pelo consumo ainda moderado de energia das máquinas.
No entanto, Yassunaga confirmou ao Mais Goiás que o valor da carne não poderá ser mais represado e já deve ter alta a partir de outubro deste ano. “Hoje a gente faz de tudo para segurar os repasses, mas vai chegar um ponto em que não vai ter jeito. Em setembro ainda pode ser que não tenha repasse, mas em outubro é com certeza”, adiantou o presidente do sindicato, que confirmou um aumento de cerca de R$ 1 por quilo da carne bovina, tanto da parte dianteira quanto da traseira do animal.
Em outra entrevista recente ao Mais Goiás, ele também associou o preço alto da carne à redução da oferta. “A oferta está menor e está se exportando muito. Quando a gente exporta, estamos falando em dólar. Então o dólar alto também pressiona os preços aqui”, pontua. Até a tarde desta segunda-feira (30), o dólar era cotado a R$ 5,19.
Fonte: Mais Goiás