O presidente e o controlador interno da Câmara de Formosa, no entorno do Distrito Federal, foram presos nesta quarta-feira (11), suspeitos de fraudes em licitações. Edmundo Nunes Dourado e Humberto Serafim Mendonça, respectivamente, foram presos preventivamente, após serem denunciados pela prática de crimes de associação criminosa e dispensa indevida de licitações.

O procurador jurídico da Câmara Municipal de Formosa, Klayton Costa, disse em nota que não teve acesso aos autos do processo, “nem foi formalmente notificado do cumprimento de qualquer medida”. Mesmo assim, o procurador afirma que vai cumprir “qualquer determinação judicial”.

As prisões ocorrem no âmbito da operação chamada de “Número sete”, realizada pelo Ministério Publico de Goiás e Polícia Civil. Além dos mandados de prisão, cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas casas dos presos e de pessoas ligadas a uma empresa suspeita de participar do esquema.

De acordo com a denúncia, o vereador utilizou da condição de presidente da Câmara para adquiri produtos e mercadorias sem licitação e favorecer amigos do estabelecimento comercial denunciado. Ainda segundo o documento, isso ocorreu nos anos de 2016,2018 e 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui