Volta às salas de aula será gradual, escalonada e não-obrigatória, possibilitando aos pais ou responsáveis decidirem pela manutenção dos estudantes no regime de atividades à distância

“Hoje, venho propor o retorno às aulas presenciais mediante um minucioso e cuidadoso planejamento, com base nos protocolos de biossegurança, nas notas técnicas, distanciamento social, higienização, dentre outras exigências propostas pelas autoridades competentes”. Com essas palavras, a secretária municipal de educação, cultura, desporto e lazer, professora Vone, iniciou a primeira reunião diretiva emergencial, que instituiu o dia 02 de agosto de 2021 como a data prevista para a volta dos estudantes da rede municipal de educação às salas de aula.

Acompanhado pela vice-prefeita, Nicolina, representando o prefeito Anderson de Paula, diversas autoridades públicas municipais, professores e coordenadores das unidades de ensino e Conselho Tutelar, o evento foi marcado por uma pluralidade de ideias e opiniões convergindo para um mesmo ponto: a urgência de um retorno, mas a necessidade inquestionável de que ele seja feito de maneira segura. “Entendemos que um ano e meio se passou e que temos e precisamos de nos posicionar na tentativa de oportunizar o retorno de nossas crianças aos bancos das escolas”, ressaltou Vone.

Neste sentido, a secretária explicou que a volta às atividades presenciais será gradual, em escalonamento 50%, conforme a realidade e capacidade de cada escola, e respeitando o posicionamento dos pais e responsáveis. “O aluno não será obrigado a retornar”, afirmou e completou: “parte dos alunos estarão presencial semanalmente e a outra parte online. Para aqueles que não possuem recursos tecnológicos, seguiremos com atividades xerocopiadas no modelo à distancia”

Nesta perspectiva, o secretário municipal de saúde, Rodrigo Goulart, ressaltou que as perdas  provocadas pela pandemia são imensuráveis, entretanto “o prejuízo educacional que tivemos não deve ser descartado” e destacou ainda que, a oportunidade de retorno só se coloca mais viável graças “à ciência que nos guia” – salientou – e permitiu que todos os professores fossem imunizados com a primeira dose da vacina, graças aos esforços do município e governo estadual para viabilizar o momento.

Planejamento conjunto e próximos passos
Representando o prefeito Anderson de Paula, a vice-prefeita Nicolina, mostrou grande alegria e contentamento pela forma como a discussão foi colocada. “Eu vejo que vocês têm pensado e trabalhado para fazer o que foi dito pelo prefeito: simplicidade, transparência, portas-abertas, democracia plena”. Ela também garantiu que “nessa iniciativa da retomada das aulas, o que vemos é a segurança construída em um trabalho coletivo, no qual todos são ouvidos” e finalizou “a educação é isso e nós vamos mostrar para o mundo nossa força”.

Assim, pelo tempo que ainda resta antes do Dia D, uma força-tarefa composta por diversas pastas e poderes será constituída para garantir o retorno seguro que há tempos é planejado. Dentre as ações que serão praticadas, estão a elaboração de um protocolo de biossegurança por parte da secretaria municipal de saúde, que também se comprometeu a auxiliar na obtenção e manuseio correto dos equipamentos de proteção individual (EPI) e coletivos.

Além disso, levando em conta os abalos psicossociais provocados pela pandemia, Vone apresentou também uma proposta para a implementação do Projeto Saúde Mental, que colocaria à disposição da rede municipal de educação profissionais de saúde capacitados a atender os professores e comunidade escolar com amparo psicológico no início do retorno. Ela ressaltou também que conta com a participação efetiva dos agentes de fiscalização para realização de monitorias que garantirão o cumprimento das normas sanitárias, paralelo ao Programa Saúde na Escola, uma iniciativa que vai auxiliar as unidades na implementação e acompanhamento das diretrizes e normas para prevenção do contágio.

Todos pela educação
Deste modo, Rodrigo ressaltou que, seguindo os anseios do prefeito Anderson de Paula em promover uma educação plena e de qualidade, a pasta terá apoio absoluto da saúde em todas essas necessidades, falou sobre a possibilidade de adiantar a segunda dose da vacina aos professores para que retornem às salas de aula completamente imunizados, garantiu total assistência na obtenção dos EPIs e alocação de profissionais para apoio psicológico e finalizou dizendo que sabe que “o Anderson não mediria esforços para que isso aconteça e que esse trabalho conjunto terá a parceria irrestrita da secretaria de saúde”.

A Assistência Social também foi acionada para este retorno. Assim, transmitindo as palavras da gestora da pasta, Geiciane Souza, a assistente social Lorraine de Oliveira Cunha falou da importância que essas crianças retornem ao ambiente escolar, pois “a educação é nossa grande parceira para adentrar as casas, entender a realidade das famílias e fazer a assistência chegar onde deve chegar”. Neste mesmo sentido, o Conselho Tutelar terá um papel fundamental para, junto à educação, ir ao encontro das famílias que, em algum momento durante a pandemia, se distanciaram da escola impactando as taxas de evasão escolar.

Assim, para finalizar, representando o corpo docente municipal, o diretor da Escola Militarizada Canãã, Roldezir Zacarias, tomou a palavra e declarou “pela nossa fé e pelo amor compartilhado por nossos alunos, nós temos a obrigação de fazer o melhor” e sobre o retorno completou, “eu quero dizer que é possível, sim”.

FONTE: Secom