Campeão Brasileiro de 1987 e da Copa do Brasil de 1990 pelo Flamengo, Renato Gaúcho retorna ao clube depois de 23 anos, com a missão de guiá-lo a novas conquistas. Como jogador, foram 211 partidas, divididas em quatro passagens, e 68 gols. Ídolo, o agora novo técnico foi oficializado no sábado (10/7), depois da queda de Rogério Ceni. E nesta segunda-feira (12/7), a diretoria apresentou Portaluppi, que posou para fotos com a camisa do time e respondeu perguntas de jornalistas sobre diversos assuntos como categorias de base, reforços e propostas de outras equipes.

De volta para casa

Emocionado em retornar à Gávea, Renato Gaúcho lembrou brevemente a conquista do Brasileiro de 1987, dizendo que espera ser campeão novamente pelo clube, agora, como técnico. “Lembro até hoje de ter dado a volta olímpica em 87 no Maracanã. Espero que com esse grupo, agora como treinador, eu possa realizar esse sonho.”

Com um currículo vitorioso, com títulos da Copa do Brasil e Libertadores, Renato Gaúcho confessou que treinar o Flamengo sempre foi um sonho. “É uma satisfação. Todo treinador sonha em um dia treinar o Flamengo, e eu estou realizando esse sonho. O novo comandante também ressaltou a força da torcida rubro-negra e disse estar na expectativa para reencontrá-la no Maracanã.

 

Grandeza de seleção  

Feliz pelo novo passo na carreira, Renato disse que comandar o Flamengo é um sonho realizado. Para ele, a grandeza do clube se compara à Seleção Brasileira. “É um prazer estar aqui nessa oportunidade de treinar um grande. Falei que tinha esse sonho e hoje estou realizando. Todo técnico tem que pensar grande e alto. Na minha opinião, o Flamengo é a mesma coisa do que a seleção brasileira, afirmou.

Elogios ao elenco

Assumindo o controle das peças do tabuleiro flamenguista, Renato rasgou elogios aos jogadores, dizendo que é um grupo muito forte, apesar de algumas perdas. “O elenco é maravilhoso, muito forte. Se vai ganhar tudo, vamos trabalhar para isso. Palmeiras, Atlético-MG também querem. Todo mundo quer. Qual clube que entra na competição e não quer ganhar? Mas o elenco do Flamengo é forte, sim. Perdeu algumas peças? Perdeu. Mas ainda é muito forte”, frisou

Categorias de base

Considerado um dos melhores técnicos do Brasil, com um estilo de jogo ofensivo, Renato Gaúcho foi perguntado como os garotos da base seriam aproveitados sob o seu comando. “Por onde eu passo, gosto de trabalhar com os garotos. Ontem mesmo no Maracanã, após a partida, falei com as pessoas aqui no Flamengo e pedi para marcar o coletivo de hoje contra os garotos para poder começar a observar. Não tenho medo de lançar garoto, mas tem que ser na hora certa, no momento certo, para não queimá-lo. No Grêmio, descobrimos vários garotos lá que tiveram sucesso no profissional. Sempre que eu achar que está na hora de ser aproveitado, vai acontecer”, garantiu.

Poderio financeiro rubro-negro

Comandando um dos times com o maior arsenal financeiro do Brasil, Renato Gaúcho disse que todo o investimento é cobrado, mostrando a necessidade de responder dentro de campo. “Se você gastar R$ 100 por mês num clube, isso vai ser cobrado. Se gastar R$ 100 milhões, vai ser cobrado. Acho que todo torcedor quer ver o time campeão. Claro que quando você gasta muito e qualifica seu grupo, você tem mais chances. O PSG, quanto que ele gastou? E não foram campeões. No Flamengo, as chances de conquistar são maiores, sem dúvidas. O Palmeiras, Atlético, Flamengo gastaram muito e, por isso, chegam toda hora”, analisou.

Reforços

Atual bicampeão brasileiro, o Flamengo possui um dos elencos mais valiosos do cenário nacional. Mesmo assim, o novo treinador não escapou de perguntas sobre a chegada de reforços para o plantel rubro-negro. “Reforços, todo treinador gosta de ter. Às vezes, nem sempre é possível. Até porque hoje temos que entender o motivo financeiro que todos os clubes passam pela pandemia. Lógico que o clube vai sentir. Não só o Flamengo, mas no mundo todo. Eu vou trocar muitas ideias com esse grupo aqui. Lá na frente a gente vê”, disse.

Gaúcho versão Jorge Jesus?

Rival de Jorge Jesus em 2019, chegando a perder por 5 x 0, quando ainda comandava o Grêmio, o novo técnico do Flamengo evitou comparações, mas garantiu que quer fazer um grande trabalho. “Na época, Jorge fez um excelente trabalho e conquistou. Domènec e Ceni tentaram, e eu vou continuar tentando também. Mas cada um tem seu trabalho, suas ideias. Todos eles, antes do Jesus, o próprio Jesus, depois o Dome, Ceni, todo mundo tentou. Eu vou continuar tentando e trabalhando. Se todo clube que contratasse um treinador tivesse 100% de certeza que seria campeão, ele assinava um contrato de 10 anos”, externou.

Propostas de Corinthians e Santos

Antes de fechar com o Flamengo, Renato Gaúcho foi procurado por Corinthians e Santos. O treinador explicou o motivo da recusa das propostas e, ainda, respondeu se já pensava em assumir o rubro-negro carioca assim que deixou o Grêmio. “Quando saí do Grêmio, a primeira coisa que fiz foi entrar de férias. Precisava respirar novos ares. Mas não saí do Grêmio pensando no Flamengo. Recusei convites de Santos e Corinthians porque eu precisava de férias. No momento que descansei, apareceu o convite do Flamengo. Essa oportunidade eu peguei. Já descansei e estou realizando meu grande sonho”, ressaltou.

Primeiro desafio de Gaúcho

O próximo compromisso do Flamengo, já sob comando de Renato Gaúcho, será na quarta-feira (14/7), às 21h30, quando encara o Defensa y Justicia, fora de casa, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores da América.

FONTE: Correio Braziliense