Morreu o cantor e compositor português Roberto Leal, de 67 anos. O artista estava internado desde terça-feira, 10, no Hospital Samaritano, em São Paulo, conforme confirmou a assessoria de imprensa da rede médica.

A assessoria de Leal confirmou que há dois anos ele descobriu que estava com câncer de pele e estava realizando tratamento. Ele morreu em decorrência da doença às 3h37.

“Um melanoma maligno evoluiu, atingindo o fígado, causando síndrome de Insuficiência hepato-renal”, destacou em nota a assessoria do cantor.

O enterro será realizado às 15h no Cemitério de Congonhas. O endereço é Rua Ministro Álvaro de Sousa Lima, 101, Vila Sofia, na zona sul da cidade.

Ainda segundo o jornal português Diário de Notícias, o artista tinha perdido a visão de um olho.

No Brasil desde 1962, quando tinha 11 anos, Leal ficou famoso em 1971 com o lançamento da música Arrebita, do refrão: Ai, cachopa, se tu queres ser bonita, arrebita, arrebita, arrebita.

Outro sucesso do cantor foi A Festa Ainda Pode Ser Bonita, canção que ganharia em 1995 uma famosa paródia composta pela banda Mamonas Assassinas, que imitava os trejeitos do cantor português em Vira-Vira. Em 2013, a música seria regravada na segunda versão da novela Chiquititas, exibida pelo SBT.

Torcedor ilustre da Portuguesa, Leal foi um dos autores do novo hino do clube e, em 2015, ajudou o time, que vive uma prolongada crise financeira, a conseguir um novo patrocinador.

Nas redes sociais, o clube paulista homenageou o cantor e publicou um trecho da canção Minha Gente. “Descanse em paz, Roberto”, escreveu a Portuguesa.

Política

Em 2018, o cantor se candidatou a deputado estadual em São Paulo pelo PTB e obteve 8.273 votos, mas não se elegeu.